segunda-feira, 19 de outubro de 2009

História de um Nascimento: Bebê Mateus

Bom dia meninas!!!

Como a Fran já explicou, estou postando a história que seria de Sexta...
É do Mateus, filho de uma amiga aqui do trabalho, a Andreza.
Preparadas pra começarem a semana chorando??!?!

Se joga!


A Motivação
Eu sempre fui o planejamento em pessoa, desde criança falava para minha mãe que ia me formar aos 20 anos, casar com 25, ter um filho aos 28 e outro aos 30. Tudo correu conforme o planejado até a parte do casamento... Me casei com o Flávio após 4 anos de namoro e decidimos curtir bem o casamento até pensarmos em ter filhos.
Muitas viagens pelo mundo depois, seguindo o cronograma, começávamos a pensar em engravidar quando meu irmão mais novo, na época com 18 anos, passou a minha frente e eu fiquei para titia. A chegada da Rebeca (filha do meu irmão e um pouco minha filha de coração) adiou nossos planos de aumentar a família, isso porque a chegada desta benção na minha família exigiu esforço de todos principalmente meus e da minha mãe, a Rebeca tem uma cardiopatia seriíssima e precisava de uma cirurgia muito complicada que só podia ser realizada após o primeiro ano de vida.
Com todo o amor que eu sinto por ela, era impossível passar pela angustia que eu estava passando e carregar uma criança na barriga, imaginem só o que eu iria passar de emoção para o meu filho.
Contornada a situação da Rebeca, já com a cirurgia prevista, decidimos que era hora de tentar engravidar.

As Tentativas
Em janeiro de 2008, já beirando os 30 anos e com 4 de casamento, decidimos iniciar as tentativas.
Em maio fizemos a viagem dos nossos sonhos, rodamos a Europa na esperança de que essa nova lua de mel resultasse na tão sonhada gravidez. Aprendi a pedir teste de farmácia em varias línguas diferentes porque cada país que eu passava fazia um teste. Todos Negativos... Uma frustração só...
De volta ao Brasil, decidi trocar de médico, o antigo não havia me passado sequer um exame de sangue mesmo sabendo que eu queria engravidar. Foi então que decidi procurar a Dra. Celeste, mãe de uma grande amiga minha e com anos de experiência no assunto. De cara ela me passou Metformina, em meio a vários desenhos ela me explicou que eu tinha resistência à insulina e isso fazia com que eu não ovulasse. Além disso receitou para o Flavio Vitamina E para, segundo ela, deixar o "espermatozóide ligadão".
Confesso que não levei a menor fé, eu esperava tratamentos estranhos, exames minuciosos, e ela me passou vitamina e um remédio de 0,35 centavos.
O mais curioso é que apelei para todos os lados. Dia 13/06, dia de Santo Antônio, ainda pela manhã fui até o convento, como faço todos os anos, e pedi com toda a força do mundo que me ajudasse a ter meu tão sonhado filhote. Era uma sexta-feira 13 e a noite fui a um pub com os amigos do trabalho, chegamos lá as 18:00 para aproveitar a dose dupla de drinks e quando o Flavio chegou as 20:00 hs eu já estava, como diz uma amiga, “casada com o palhaço”. E foi nesse dia, depois de um porre e muita reza que o Mateus foi encomendado!

A Descoberta
A menstruação já estava atrasada a mais de uma semana, fiz um teste de farmácia e a resposta foi...NEGATIVA.
Mais uma vez fiquei arrasada! Os sintomas apareciam, os seios doíam muito e decidi procurar minha GO novamente. Como o atraso já era de quase um mês ela decidiu me dar um remédio para forçar a menstruação e passou uma bateria de exames, dentre eles um BetaHCG.
Fiz os exames já no dia seguinte a consulta e comprei o remédio, como a medica havia instruído, deixei pra tomar a noite depois do resultado do BetaHCG, só por desencargo de consciência.
Já a noite, eu, Flavio e um casal de amigos jantávamos e jogávamos conversa fora num barzinho quando decidi ligar do celular para saber o resultado do exame... Quando a atendente disse : “ A amostra apresentou Não-sei-quantas mg de HCG e de acordo com as referencias esta quantidade indica que o resultado é POSITIVO”. (Me arrepio só de lembrar) fiquei imóvel, sem conseguir falar! O Flavio sem entender nada perguntando o que houve? E eu finalmente consegui soltar “ESTAMOS GRÁVIDOS!”
Parecíamos loucos gritando dentro do barzinho que já se preparava pra fechar! Aquela noite nem dormimos direito de tanta emoção...

A Gravidez
Minha gestação foi excelente! Curti cada segundo, me senti linda mesmo tendo engordado 14 kg.
O único momento difícil foi quando aos 5 meses de gravidez, a Rebeca, então com 1 ano e 11 meses, passou pela cirurgia que corrigiu o coraçãozinho. Embora eu tivessse toda a fé do mundo de que tudo ia dar certo, eu chorava até em comercial de margarina quem dirá diante de uma situação destas. Graças a Deus tudo correu muito bem, acho que esse momento serviu muito pra unir mais ainda os laços do Mateus com a Rebeca, eles são apaixonados um pelo outro.

O Parto
Eu já havia decidido pela cesárea, o Mateus estava com dupla circular de cordão e eu sou uma medrosa, não queria pagara para ver...
A data provável do parto era 09/03, o combinado era que em 04/03, logo após o carnaval eu voltaria ao consultório para marcar a cesárea. O grande problema é que o Mateus é carnavalesco e decidiu pular o carnaval do lado de fora...
Dia 21/02, sábado de carnaval, pedi ao Flavio que me levasse para almoçar no Outback pois estava com muita vontade e depois que o Mateus nascesse ficaria sem sair de casa por um bom tempo. Acontece que a comida do Outback faz entrar em trabalho de parto (cheguei a esta conclusão após ler a história da Fran) e ainda naquela madrugada dia 22/02, no dia em que completava 38 semanas acordei com contrações.
Liguei para a médica as 07:00 hs da manhã de domingo de carnaval dizendo “O Mateus quer sair!!” .
Como ele nasceria na Perinatal da Barra, as instruções da medica foram para eu ir para a Casa de saúde Rio de Janeiro, onde ela teria que passar para dar alta a uma paciente e se fosse o caso de lá seguiríamos para a perinatal.
Como todo bom nerd, o Flavio olhou o Google maps e lá fomos nós... Como não poderia deixar de ser, ele se perdeu no meio dos carros alegóricos da Av. Intendente Magalhães. Todas as pessoas que poderiam dar informações estavam bêbadas pela rua... E calmamente o Flavio parava em todos os sinais enquanto eu “tentava” gritar no banco de trás. Foi quando a bolsa rompeu e os planos mudaram...
Diante da bolsa rompida, não havia o que examinar, tinha que sair... Desistimos de tentar achar a tal casa de saúde e fomos direto para Perinatal. Como não podia deixar de ser em um domingo de carnaval com sol forte, o engarrafamento na linha amarela chegava a dezenas de kilometros.
Cheguei ao hospital por volta de 11:00 hs, com contrações a cada 2 minutos, a esta altura depois de todo o sofrimento já pensava em ter parto normal. Idéia descartada após o exame de toque que constatou que eu tinha míseros 3 centímetros de dilatação...
As 12:12 nasceu Mateus de cesariana, graças a Deus não quis insistir no parto normal, nas tentativas de sair ele bateu com a cabecinha repetidas vezes e acabou desmaiando.
Foram os minutos mais longos da vida do Flavio, eu sem saber de nada perguntava “Ele já saiu? Porque não chorou?” E enquanto isso ele assistia os médicos reanimando o Mateus que ganhou 4 no teste de apgar do primeiro minuto.
Graças a Deus foi só um susto, logo me trouxeram meu “embrulinho” e eu não sei descrever o que eu senti, foi a emoção mais forte que já tive na vida e tudo que eu consegui dizer chorando foi “Oi, eu sou sua mamãe!”

5 comentários:

Déia. disse...

Historias de mãe e filho sempre emocionam...
Linda Historia do Mateus.
Beijos

Fran disse...

Valeu a pena esperar até hoje pra ler, né?

Muito bom!

Que linda a história!!!

Mas confesso que fiquei impressionada com o desmaio dele. Nem sabia que isso podia acontecer...

Mas que bom que tudo terminou bem!

Talita disse...

Não sei se é pq to de TPM ou o que, mas estou até soluçando aqui (detalhe: No trabalho, na frente do pc, de cara p a rua com todo que passa na rua me olhando) hahahahahahahaah
Roberta, que bom que gostou da minha história! Foi perrenguem mesmo para ficarmos juntos, e até hj a dita cuja tenta interfirir na nossa vida...
Beijinhos
Boa semana procês!

Francine Figueiredo disse...

Comida do Outback chama bebes kkkkkkk

Que coisa essa do desmaio... ainda bem que vc não sabia de nada né? e melhor ainda que foi só um susto, nunca tinha ouvido falar nisso.

Adoro ler essas histórias!

bjs e saúde ao Mateus

Jú Ferrer disse...

Adoreiiii a história!!!

Por isso que falam que é bom comer abacate qndo está tentando engravidar, porque ele tem bastante vitamina E.