quarta-feira, 20 de junho de 2012

Parto Natural x Parto Cesárea X Humanização X Manifestações de Mulheres X Traumas X Exageros

Meninas,

     Há quase 4 anos atrás quando estava grávida do Gabriel eu pesquisei sobre esse assunto pois eu queria o melhor pro meu filho e pra mim. Nunca tive problemas com dores, pelo contrário, tenho uma ótima resistência à dor. Então parto normal sempre foi uma opção para mim. Estou com minha GO há quase 20 anos, desde a adolescência. Não passava pela minha cabeça ter outra pessoa me acompanhando nesse momento tão especial. Quando engravidei fui conversar com ela sobre parto. Claro que já havia me entupido de informações sobre o tal parto humanizado. Sobre doulas e essas coisas... A minha GO é uma pessoa extremamente prática, até meio fria de vez em quando. rsrsrs... Quando disse que queria parto normal, ela disse: - Se tudo correr bem, ok! Para mim, aquele era o sinal de que ela não faria o menor esforço para que eu pudesse ter parto normal. Falei sobre o parto humanizado, sobre cursos preparatórios, sobre doulas e ela disse que tudo isso era bobagem. Que o que eu precisasse saber ela me ensinaria e que não precisaria de ninguém "estranho" (doula) ao seu lado na hora do parto. Ok, pensei comigo que eu ia acabar tendo cesárea mesmo, mas resolvi que esse assunto não ia consumir meus dias.

    Assisti vídeos, li relatos e confesso para vocês, que apesar de querer um parto normal eu não pretendia passar pelo sofrimento que eu via. Mulheres em trabalho de parto há dias. Mulheres tendo filho em casa, numa piscina tony com um gato ou cachorro passando por perto e mil pessoas da família ao meu redor. Sou bastante tímida em me expor. Não consigo me imaginar, mesmo parindo, seminua com uma equipe fotografando e filmando meu sofrimento.

    Anestesia nunca foi tabu pra mim. Se eu pudesse ter meu filho de parto normal e com menos dor, por que não?

     Resumindo meu relato, Gabriel nasceu de parto normal, tomei e implorei pela anestesia (rsrsrs). Fiz episiotomia, ele foi mostrado a mim e logo depois a neonatologista o levou. Ele deve ter passado por n procedimentos e logo que fui pro quarto, não demorou e ele chegou. Humanização zero. Mas ok!

      Por que estou escrevendo tudo isso? Porque estou grávida, continuo com a mesma GO e pretendo ter meu segundo filho de parto normal. Mas o que me motivou a vir aqui e escrever tudo isso é um certo exagero que vejo nas manifestações “pró partos naturais humanizados sem qualquer intervenção”. Gente, quem é a favor disso tudo, ok! Meu respeito! Apenas digo que percebo um certo exagero. Sei que os médicos faturam mais e assim os hospitais quando há uma cirurgia. Sei que existem intervenções desnecessárias. Os médicos vêem o que é mais conveniente para eles e muitas vezes não querem saber o que seus pacientes querem. Ao mesmo tempo, eles são os profissionais capacitados. Quem sou eu para questionar minha GO dizendo que quero um parto normal caso ela diga que meu bebê entrou em sofrimento? Temos que saber em quem confiar.

     Serei uma mãe pior porque tomei anestesia? Serei uma mãe pior porque meu filho ficou nos meus braços por apenas 5 minutos? Serei uma mãe pior porque a primeira coisa que meu filho fez  não foi mamar no meu peito? Serei  uma mãe pior porque fiz episiotomia? A resposta para todas essas indagações é NÃO!

    E nem o contrário. Meu filho é lindo, saudável e esperto! Eu continuo tentando ser a melhor mãe do mundo e acho que assim continuarei até o fim dos meus dias. Não sou menos ou mais mulher porque passei por muitas intervenções no meu parto.

    Novamente digo que se algumas de nossas leitoras for a favor de tudo isso, eu respeito! Apenas acho que do jeito que a coisa anda, a proporção que esse movimento vem tomando, parece que a mãe que teve seu filho de outra maneira é diferente. Leio relatos traumatizados, mulheres pensando em ter outro filho somente pela oportunidade de passar por esses procedimentos humanizados. Acho meio bizarro isso!

    É isso! Comentem!
 
 


2 comentários:

Julay Ferrer disse...

Aeeee, finalmente sou digna de deixar um post nesse blog (#chegalogoRafaela).

Achei muito bacana o post. Concordo com vc em td que disse. Estou super afins de ter um parto normal e pra ser bem sincera, mais por mim do que pela filhota. Quero ter um parto bacana, para estar ótima para cuidar dela. E imagino que com um corte de cesárea o meu sofrimento depois será bem maior.

Se eu tiver que fazer uma cesárea por causa da minha nenê, ok, vamos lá. Mas hoje, não me imagino na sala de cirurgia quando a minha lindona sair.

Sou a favor do parto normal, mas acho demais esse lance de parto em casa, na banheira, sem médico, sem ninguém. Pra que tanto extremismo?

Quanto ao lance de todo mundo por perto de expectador durante o parto, isso me mata. Maridôncio não sabe, mas só avisarei os avós depois que a nenê nascer. Só de imaginar o povo todo em volta de mim durante meu trabalho de parto, piro.

Beijocas

Anônimo disse...

Corajosa! Concordo contigo, é exagero mesmo! Minha mãe teve 7 filhos de parto normal e minha irmã morreu aos 44 anos, regrediu até agir como um bebê, fazia as necessidades na cama, morreu de infeção generalizada e com regressão cerebral, convulsões, alucinações e uma vida totalmente de amargura para ela e apara a família. Sou contra!!!! No hospital eles podem até ser mais frios, mas é lá que tem todo aparato médico. Fiz cesárea por escolha. Pois minha irmã trabalha com partos eme explicou que jamais teria um filho de parto normal. Tb acho exagero dela. Acho que a vontade de cada mulher deve ser respeitada. A minha foi. E não é que dei sorte? Na hora o médico perguntou: Não mudou de idéia, não é? já mandei preprar a sala. Falei que não, embora bateu um certo pavor de me imaginar com a barriga cortada! Na hora do parto foi uma correria, ele estava se afagando enrolado no cordão, nasceu tão preto, que achei que fosse negro!! horas depois ficou louríssimo, como é até hoje. Ainda no parto um dos dois médicos que falou: imagine um parto desses normal? E o outro então comentou: a outra que atendi antes dela, quase morreu, fiquei doido lá! o marido desmaiou, pois ela gritava que queria cesárea num momento em que não dava mais. Resultado: ficou tão cortada que terei que operá-la depois. Mas teimou até o último momento, pagou o hospital para levar uma doula, pra quê? Só para ter mais gente se atracando na hora. Pensei: Deus é bom e me guiou. O melhor parto é o que você escolher. Mas com discernimento. Os bebês hoje são muito grandes, antigamente morriam muitas mulheres por caus dos partos em casa, ao contrário do que dizem que acontece nos hospitais. Ter filho é um risco.