sexta-feira, 6 de novembro de 2009

História de um Nascimento: Bebê Giovana

Bom dia, meninas!!!!

Olha, fiquei tão feliz essa semana!
A Patrícia Angélica finalmente resolveu nos presentear com a história de nascimento da Giovana! Uma delícia!!!!!
Ela estava relutante porque parte da história é triste, mas ela conseguiu pular essa parte ou ao menos resumir muito! :) Por isso tudo, vou deixar a história dela exatamente do jeito que ela me enviou!
O importante agora é que tudo está no seu lugar!!!

Vamos lá?!
Bjs.



O SONHO:
Sempre tive muitos sonhos, mas o único que nunca se perdeu foi “o sonho de ser mãe”. A única certeza que tinha na vida era que seria mãe um dia, e, comecei a anunciar para minha família que ficaria grávida. Só que não era casada e isso era “O problema”. Adiei por tempo indeterminado este projeto.

A REALIDADE:
A vida me fez reencontrar uma pessoa com quem havia me relacionado anos antes, e, acabamos nos envolvendo novamente, só que ele estava noivo. Resolvemos passar o Reveillon juntos. A noite foi linda! Assistimos a queima de fogos na praia e fomos para a casa dele... Esta noite mudou minha vida para sempre. Minha princesa foi concebida.

A DESCOBERTA:
No dia 20 de janeiro é feriado aqui no Rio de Janeiro e aproveitei o dia para ir à praia. À noite percebi que minha menstruação não veio e fiquei preocupada. Falei para ele que achava que estava grávida, mas ele não acreditou. Na segunda-feira, dia 23 de janeiro de 2006 fiz o exame de sangue. Fiquei o dia inteiro na internet tentando ver o resultado do exame. Saiu às 18:00 h e fiquei sem saber o que fazer. Amostrei a minha amiga e ela disse: Parabéns! Eu não sabia se estava feliz, se estava desesperada... Eu só sabia que estava sozinha. Mas ao mesmo tempo, eu nunca mais estaria sozinha, porque estava crescendo dentro de mim o meu bebê.

AS FAMÍLIAS:
Minha mãe quase surtou quando soube da gravidez. Minha irmã ficou toda feliz e disse: “Eu sempre soube que de qualquer jeito você seria mãe! Você nasceu para ser mãe!”
A mãe dele me chamou para conversar e disse que me apoiaria e estaria do nosso lado sempre. Ela sempre foi uma grande amiga! Minha mãe aos poucos foi aceitando.

MEU ANJO DA GUARDA:
Eu acredito em anjo da guarda e posso dizer que tenho um. A minha amiga, irmã, anjo da guarda Raquel. Ela me apoiava, cuidava de mim e da barriga, fazia comida gostosa, era um barato! E, é assim até hoje.

A GRAVIDEZ:
Com todas as turbulências, eu nem sabia mais se queria ou não ser mãe. Mas, esta indecisão durou muito pouco. Uma semana depois da descoberta da gravidez, marquei a 1ª consulta com a Ginecologista obstetra. No dia da consulta acordei com sangramento e fui igual louca para a clínica. Entrei no consultório muito nervosa, chorando e falei para a Dra. Andréa: “Estou com pouco tempo de gravidez e amanheci com sangramento. Salva meu bebê, por favor!” Ela foi um docinho. Deu-me total atenção e me mandou fazer a ultra. Na ultra tudo bem, estava lá meu pontinho de luz com apenas 3 mm. Mas, estava bem e só isso importava! Tive tanto medo de perder meu bebê, que descobri naquele momento que ser mãe era a coisa mais maravilhosa do mundo. E meu bebê seria a criança mais amada e feliz no que dependesse de mim. O restante da gravidez foi tranqüila e só sentia muita azia. Aos seis meses de gravidez descobri que teria uma menina. Eu queria tanto que fosse menina! Nossa como fiquei feliz! Liguei para todo mundo falando que era menina.

A SOLIDÃO:
Decidi sair da casa da minha mãe e viver somente com minha filha. Eu precisava entender tudo que estava acontecendo na minha vida... Mas estar grávida sem apoio do papai é muito difícil. Sentia-me muito sozinha, mas cantava para a barriga, conversava com meu bebê, e ela era meu apoio e minha fortaleza. Neste momento já sabia que seríamos nós duas, sempre, e que seríamos muito amigas.

O PARTO:
Queria muito ter parto normal, mas já estava me acostumando com a idéia de fazer cesariana porque em todas as ultras e consultas, ela estava sentada, por isso descobri o sexo tão tarde. Então o médico que faria meu parto estava me preparando para isso... Só que Giovana resolveu fazer a minha vontade e nasceu de parto normal, mas nada, nada como planejado. A bolsa se rompeu às 04:15 h da manhã de 04/09/2006. Ainda faltava quase um mês para Giovana nascer. O parto era previsto a partir de 25/09. Não estava com nada arrumado. Saí da casa da minha mãe com ela e fui até a casa para onde estava me mudando, para arrumar as coisas. Liguei para Raquel porque a bolsa que havia comprado para Giovana estava na casa dela. Arrumei tudo com a maior calma, ninguém acreditava que minha filha ia nascer e eu estava calminha daquele jeito. Liguei para o papai e avisei que estava indo para o hospital. Meu irmão me levou de carro para a maternidade que havia escolhido, só que não pude ficar lá porque não tinha UTI neonatal e como o bebê era prematuro, eles não teriam recurso se tivesse algum problema. Fomos eu e minha mãe de busão para o Hospital Universitário. Eu chorando horrores, porque não queria ir para aquela maternidade e porque estava com medo do meu bebê nascer com algum problema. Deus é maior que tudo! Entrei no soro para induzir as contrações por volta do meio dia. Senti duas contrações e às 16:29 h minha princesa nasceu, com 3 kg e 50g, e com 48 cm. O parto foi assistido pela tia da Giovana. Minha princesa nasceu e veio para meu colo, toda sujinha, veio mamar. Que gostoso alimentar meu bebê. Foi a melhor sensação da minha vida. Descobri que estava completa e que ela era a coisinha mais linda que já havia visto na minha vida!

A VIDA COM GIOVANA:
A minha vida mudou muito! E para a melhor é claro! Tornei-me mais forte. Aprendi a lutar, a cuidar de mim para cuidar dela, a ser feliz. Hoje nossa família está maior. Depois de dois anos sendo só nós duas, agora somos quatro: eu, Giovana, Osvaldo (pai da Giovana e meu marido amor) e Miguel (filho de Osvaldo de 1 ano e 3 meses).

O QUE APRENDI COM A GIOVANA:
Os sonhos são para serem realizados! Meu sonho tem cheiro, é doce, sincera e me ama muito! Nem sempre fazemos tudo da forma certa, mas sempre dá tempo de acertar, basta ter boa vontade! Amo minha filha mais que tudo na vida e ela é meu maior incentivo para tudo. Hoje posso dizer que sou realizada porque meus maiores sonhos viraram realidade!






7 comentários:

Déia. disse...

Paty que história linda!! Me emocionei lendo sua história! Muito linda mesmo.
beijos

Maria Flor Atêlier disse...

ahhhhhhhhhhhhhhhhh
me fez chorar!
Emoção e alegria por saber que ser mãe não só modifica um todo como nós faz mulheres FORTES, CORAJOSAS e DETERMINADAS!!

Super mãe mesmo!!!!

Paty toda felicidade desse mundo pra essa família linda!!

Tudo ao seu tempo sempre!

Beijã e fica com Deus!

Beijo Fran pelo post!

Alê

Patrícia Angélica disse...

Meninas, Estou muito agradecida, de verdade! Ver nossa estória publicada, é como sarar feridas. Passamos por muitos momentos difíceis, mas posso dizer que somos vencedoras!!!

Beijocas!!!

Fran disse...

Vou te bater Patrícia,

Hoje está sendo um dia extremamente emotivo pra mim por conta da filhinha de um amigo aqui do trabalho. Depois até conto pra vcs, se eles me autorizarem.

E daí leio essa história linda da sua filhota! Vixi! Entortei até cara... rsrsrsrsrs

bjs,

Francine Figueiredo disse...

Que história heinnnnnnnn

Cada uma que passa é mais emocionantes que a outra...

Lógico debulhei minhas lágrimas

Parabéns pelo sonho realizaod Patrícia

bj

Jú Ferrer disse...

Amei essa história, linda de viver. O mundo dá muitas voltas e qndo acaba dom final feliz é melhor ainda!!

Beijocas

Gabriela disse...

Que história linda!!!
Parabéns pela família linda!
bjs