sexta-feira, 9 de outubro de 2009

História de um Nascimento: Bebê Sofia

Bom dia, flores!
Sabe o que eu reparei agora?! Depois da história da Maria Clara, só teve histórias de meninos! Nossa...enfim mais uma história de uma menininha...

Hoje é da Sofia, BFF (Best Friends Forever) da Maria Clara e filha da minha amiga Francine Figueiredo! :)
E hoje foi o dia perfeito pra postar a história dela! No próximo Domingo (meus olhos cheios de água!) ela completa 1 aninho! É muito bom acompanhar a vidinha dessa lindinha! Maria Clara e ela brincam muito, às vezes rola uns estresses entre as duas, mas se adoram! Maria Clara tem um carinho todo especial com Sofia, ou PIA, IA... :)
E depois tenho que contar tb como essa Francine entrou na minha vida...assim como a Fran, entrou pra ficar! Ai ai essas Francines da minha vida!!! Mas isso é pra outro dia!!!

Bôra chorar!

A Motivação

Desde sempre quis ser mãe, nunca sonhei em casar, não sabia como ia ser minha vida de adulta, mas de uma coisa eu tinha certeza, seria mãe, de uma menina e LOURA! Podem rir, mas sempre quis uma filha loira.

As Tentativas

Estávamos casados há 8 anos, passamos por algumas dificuldades financeiras, mas a vida começou a se assentar em 2007, mas mesmo antes da vida se assentar já estávamos tentando engravidar, André sempre quis muito mais que eu que ficasse grávida logo, por ele, ficaria grávida com 2 anos de casada, mas eu sempre prorroguei essa data, sabia que a vida mudaria demais. Tentamos relaxados, nada de compromisso, mas a cada amiga que aparecida grávida (e nessa época foram muitas) me dava mais e mais vontade de ser mãe, até que acompanhei muito de perto a gravidez da Roberta e muito mais os primeiros meses da Maria Clara acho que ela abriu o caminho para Sofia. (sempre choro aqui!!!!!)

A Descoberta

Minha menstruação sempre foi muito certinha de 28 em 28 dias exatos, no carnaval de 2008 a mardita deveria ter vindo, mas como era carnaval e muitos dias em casa acabei me perdendo no calendário, mas quando chegou o final do carnaval, percebi que já era dia 10/02 e não tinha ficado menstruada, coisa que deveria acontecer no dia 04/02, fiquei pensando que poderia estar grávida, na verdade, eu só poderia estar grávida, pois minha menstruação nunca tinha atrasado antes, mas não queria ficar com falsas esperanças, daí fiquei o dia todo pensando naquilo, mas ao mesmo tempo achava que era muito cedo pra se descobrir, a noite, quando voltei do trabalho resolvi falar com André sobre a minha desconfiança, não sabia se comprava o exame na farmácia ou se fazia no dia seguinte no laboratório, mas não agüentei a ansiedade, fomos na farmácia e compramos o exame, crente que ia receber o resultado naquele momento, doce ilusão, o exame era para ser feito em jejum, então tinha que esperar até o dia seguinte, e quem consegue dormir? Acordei as 4h da manhã com vontade de fazer xixi (nunca acordo de madrugada, bato na cama e durmo até a hora de acordar no dia seguinte) e ficou aquilo na minha cabeça, eu estou mais tempo sem comer nada do que se eu dormir agora e fizer o exame pela manhã, vou fazer agora, nisso André acordou também, fiz xixi dentro do potinho e coloquei o papel, na hora que molhei o papel ele já foi mudando para a tal cor que tinha que aparecer (que não lembro exatamente o que era, mas acho que eram listras vermelhas), não sabia se ria ou se chorava, mas ainda estava na dúvida, não contamos nada pra ninguém, no dia seguinte fomos direto para o laboratório fazer o exame que ficaria pronto até as 20h do mesmo dia, nesse dia, entrava no site do laboratório o dia inteiro, de 10 em 10 minutos, as 20h não tinha nada no site ainda, liguei pra lá, falaram que era pra eu tentar as 21h, entrava no site do laboratório e só ficava atualizando pra ver se aparecia alguma novidade, até que fui na cozinha fazer um lanche, e de repente vem andré com um papel na mão, estava escrito 5mil e tantos hormônios e no mesmo papel já informava com qual a numeração era estar ou não grávida e nessa numeração eu estava gravidíssima, na hora fiquei perplexa, mas fui logo pra sala e entreguei o papel na mão da minha mãe, que lógico, não entendeu nada, e falamos que ela seria vovó, ela lógico, não acreditou na gente, mas daí mostramos o papel explicamos e ela começou a ligar pras irmãs, e eu pras amigas, andré pra família dele, foi um vuco vuco danado!

A Gravidez


Minha gravidez foi super tranqüila, apesar dos enjôos nos 3 primeiros meses e da azia nos 2 últimos. A barriga também esticou rápido, e eu desde sempre tinha a certeza e torcia por uma menina.
Na primeira ultra fiquei tão nervosa, tão emocionada, um turbilhão de emoções, a minha preocupação era ver se realmente tinha um girininho ali dentro, e lá estava ela, toda minúscula, mas já muito amada.
Antes mesmo de sabermos o sexo queríamos entrar em um acordo para saber qual nome teria nosso baby, eu queria Maria Eduarda, Isabela, Gabriela, para meninos Frederico, Guilherme, Gabriel, Fabrício, André não tinha nenhum nome em mente, mas também não queria nenhum desses, daí eu entrava em todos os sites de nomes de bebes e ia lendo pra ele, o que você acha de fulano, e ciclano, e esse outro, até que chegamos em Sofia e João Pedro.
Até os 3 meses eu tinha medo até de fazer xixi, achava que podia escorregar pelo vaso abaixo... coisas de gravidez de primeira viagem né?
Com12 semanas fiz a segunda ultra e nessa já conseguirmos descobrir o sexo, a emoção de saber que era uma menina, como sempre quis, me deixou muito mais eufórica até que quando descobri a gravidez. ERA TUDO QUE EU QUERIA, ESTAR GRÁVIDA DE UMA MENINA! E nesse momento ela já tinha nome Sofia! Nossa princesinha!
Aos 4 meses uma lumbriguinha começou a passear na minha barriga, mas só eu sentia.
Toda ultra que fazia da Sofia era uma euforia, ela sempre foi muito bagunceira, desde a barriga, não ficava quieta um minuto.
Entre 5 e 6 meses André começou a sentir os chutes da pequena, e como chutava, impressionante como ela mexia muito e o dia inteiro, a noite, as vezes ela acordava André com os chutes, de tão forte que eram.

O Parto

Tinha muito medo do parto, queria normal, mas sabe aquele querer sem muita certeza? Era o meu caso, estava meio que deixando a vida me levar, meu médico e eu decidimos que das 40 semanas não passava, quando completei 38 semanas, todos os dias achava que seria o dia do parto, isso sem sentir nada, a Sofia sempre esteve virada, mas não encaixada, ia as consultas com mais freqüência e como a Sofia ainda não estava encaixada não levava toques, o que eu achava ótimo! Completaria 40 semanas no dia 10/10/08 e combinamos que se a Sofia não desse o ar da graça esse seria o dia dela vir ao mundo, nesse dia estava em casa ansiosíssima, mas meu médico me ligou, surgiram 3 cirurgias para ele fazer, então resolvemos marcar para o dia seguinte 11/10/09 às 7:00 da manhã.
Achei que não ia conseguir dormir nessa noite, ledo engano, dormi como uma pedra e toda a minha ansiedade passou, acordei muito tranqüila as 5:00h da manhã, e fomos para o HCN, meu médico já estava lá com a equipe me aguardando, entrei andando no centro cirúrgico, e a equipe lá separando os instrumentos conversando sobre todas as coisas do mundo, o anestesista super atencioso, não posso dizer que não estava tensa,
Assim que aplicaram a anestesia me deu um enjôo tremendo, vomitei! Mas logo passou.
André ficou do lado de fora até a anestesia, ele entrou, Sofia nasceu, eu não senti absolutamente nada, o pediatra a pegou para limpar e aspirar, trouxeram-na pra eu ver, Que Emoção! Como chorava nessa hora!!! É uma sensação que não dá pra descrever... Fiquei muito groge e não sentia muita coisa... estava em outro mundo, não me lembro muito bem das coisas, ela tem um hemangioma na testa que logo me mostraram e falaram para eu não ficar preocupada que a mancha sairia até os 2 anos, depois disso não lembro nem como fui para o quarto, só sei que lá quando cheguei estava uma galera a nossa espera, e todos me mandando calar a boca porque teria gases, falei muito e não senti dor alguma, minha recuperação foi excelente, no mesmo dia as 18h tomei banho sozinha, só tive auxílio da enfermeira para me secar e me vestir, tive alta no dia seguinte,
Sofia desde a maternidade pegou o peito com muita facilidade, tenho bastante leite, mamou exclusivamente no peito até os 6 meses, tive a sorte de após a licença maternidade continuar trabalhando de casa, hoje ela está com quase 1 ano (faltam 16 dias) e ainda amamento.

Posso dizer que hoje a nossa é muito diferente do que era antes dela.
Que somos pessoas muito mais felizes
Que ela é a razão de TUDO e que TUDO é pra ela SEMPRE!

6 comentários:

Fran disse...

Que história linda!!!
Muito legal conhecer essas histórias de nascimentos. Cada uma com uma emoção diferente!

Eu não vi fotos dela grande, só essa pequenininha do seu perfil. Mas ela é loura?

Patrícia Angélica disse...

São muito emocionantes essas estórias de nascimento. Cada vidinha que vem para fazer as pessoas mais felizes e completas. Parabéns pela sua princesinha Sofia! Que Papai do Céu dê muita saúde à ela.
Um beijos

Vanessa disse...

Linda estória. É muito legal ver os detalhes de cada um.
Bjs,

Dany disse...

Estou visitando o blog pela 1ª vez!
Tô adorando ler essas histórias de nascimento...
Fiquei emocionada com cada uma!
Como faço pra mandar a minha, Roberta??
Meu e-mail é danyelle_santos@hotmail.com
Agueardo seu contato.
Beijocas!

Francine Figueiredo disse...

respondo a chará - ela é louríssima! cabelo chega ser branco...
tudo que sempre quis, minha princesinha preguiçosa, pq nada de andar ainda eheheheh

Francine Figueiredo disse...

Obrigada a todos os recadihos
lógico que chorei escrevendo, e comecei a chorar na introdução da Roberta kkkkkkk
bjs