terça-feira, 6 de outubro de 2009

História de um Nascimento: Bebê Matheus

Bom dia, meninas!
Hoje é dia!!!!
A história de hoje é do Matheus, filho da Dedeia.
Dedeia se tornou assídua ao nosso blog e em consequencia, atualiza o dela sempre com as peripécias do Matheus! E agora ela criou um novo blog pra divulgar sua arte! Confiram!

Bôra se jogar?!
Bjs.


A Motivação
Quem me conhece sabe que eu nunca quis ser mãe. Achava que não tinha “dom” para isso e nunca me grilei muito quando me perguntavam se não teríamos filhos, pois a idade já estava chegando. Meu marido, pelo contrário, sempre quis. Chegou a conversar comigo algumas vezes, mas sempre desconversava e dizia que não era a hora, que não tínhamos estabilidade financeira, essas coisas. Até que no começo do ano de 2006 me deu um estalo na cabeça e comecei a refletir sobre o fato de ter um filho. Pensava (comigo mesmo apenas) se não tiver filho, qual é o motivo de nossa união? Não seria a perpetuação da “espécie”? Amo meu marido, ele me ama e hoje começa a faltar algo em nossas vidas...
Bem, depois de pensar muuuuuuuuuuito ( +/- 6 meses) sozinha, resolvi compartilhar essa ideia com o Rafael que ficou feliz com minha nova posição em relação aos filhos. Parei de tomar a pílula. E a menstruação enlouqueceu e sumiu!!! Fui a uma nova ginecologista indicada por uma amiga minha (pois a minha não podia atender nos 30 dias consecutivos). E comecei a fazer um tratamento no final de outubro, pois tinha a Síndrome de Ovários Policísticos e ela me assegurou que em 3 meses não teria muito sucesso para engravidar.

As Tentativas
Bem, não foram muitas...estava despreocupada com camisinhas e afins pois estava fazendo este tratamento e a médica me assegurou que os 3 primeiros meses eram difíceis para engravidar. E como já estava querendo engravidar deixei as coisas acontecerem. No final do 2º mês do tratamento tivemos uma surpresa.

A Descoberta
Como disse no final do 2º mês de tratamento comecei a sentir tudo que sentia quando a menstruação estava para vir, mas não vinha... Esperei 2 semanas e nada e os sintomas também não sumiam. Como esses policístos faziam com que a menstruação não descesse e tinha sempre que tomar remédio para “forçá-la” a vir liguei para a minha médica que me pediu que fizesse novamente o beta HCG para termos certeza que não era gravidez e assim poder tomar o remédio.
No dia 16 de janeiro de 2007 estava trabalhando quando entrei na internet para pegar o resultado : POSITIVO! Na hora entrei em choque. Fiquei parada uns 20 minutos... Quando cheguei em casa peguei o resultado que tinha impresso e dei pro Rafael sem falar nada. Ele olhou, olhou e me perguntou: é isso mesmo que to pensando? Eu só respondi com a cabeça que sim... Ele me abraçou e ficamos calados um tempo digerindo a ideia. Estávamos felizes e ao mesmo tempo em pânico!

A Gravidez
Depois do susto inicial, contamos para toda família e todos ficaram super felizes. Minha mãe, como alguns conhecem, gritava sem parar que ia ser avó! Foi uma choradeira só...
Minha gravidez começou conturbada pois logo no primeiro mês comecei a sangrar muito e fui direto para a perinatal, a pedido da minha obstetra, fazer uma ultra transvaginal e a medica que me atendeu disse que tínhamos perdido o bebê, que era um “ovo cego” e bla bla bla... Choramos muito e fomos direto para a Dra Alda. Ela pediu calma e me deu 15 dias de repouso total e depois faria uma nova ultra pra só assim pensar numa curetagem. Depois dos piores 15 dias da minha vida fiz um novo ultrassom e lá tava ele... coraçãozinho batendo super rápido... choramos muito... mas desta vez de muita alegria. Eu não me sentia grávida, só quando fazia a ultra que sabia que era real, pois não sentia nada... enjoo, azia, nada!!! Eu, no fundo, queria que fosse um menino, pois sempre fui mais moleca e nunca fui tão assim para a vaidade, mas nunca falei isso abertamente, pois achava que se fosse uma menina ela se sentiria rejeitada. Mas foi no quarto mês, quando fiz a ultra morfológica, descobrimos que íamos ter o Matheus. Fiquei super feliz!!! Nossa, Rafael parecia estar nas nuvens... mandou uns 50 torpedos em alguns minutos! rs
Desde o primeiro dia de gravidez tinha certeza de que queria parto normal e minha médica sempre me apoiou.


O Parto
No dia 10 de setembro fui fazer o perfil biofísico, a ultra e o CTG de rotina na perinatal e a médica (outra!!) me disse que pela idade gestacional meu liquido amniótico estava abaixo do normal e o ideal seria uma cesárea para que o Matheus não entrasse em sofrimento. Liguei para a dra Alda à noite, conversamos e ela marcou para o dia 13/09 a cesárea. Ela não quis esperar, já que não tinha nenhum sinal de que Matheus quisesse nascer logo. Dia 13 chegou e Matheus nasceu as 21:13 do dia 13/09 com 51 cm e 3,715gr. Apgar: 9/10


4 comentários:

Déia. disse...

Êêêêêêêêêêêêêêêêêêêêêê. Óia nóis aki!!!!
rs

Fran disse...

Êta coisa boa!!! E tome emoção!!!!
Esse moleque é lindo demais!!!
E a Andréia sempre foi um companheirona em compartilhar comigo as novidades de uma mãe de primeira viagem. Me ajudou e muito!!!

Patrícia Angélica disse...

Que estória linda! É tão gostosa realizar o sonho da maternidade e vc foi privilegiada por Deus, porque sonhou e realizou rapidinho! Parabéns por seu lindo filho! Que Deus dê muita saúde e paz à vcs!
Um beijo

Jú Ferrer disse...

Achei linda sua história, pois apesar de ter muita vontade de ter filhos, sempre me pego pensando se quero mesmo...quando quero....aiaiaiai, é como dizem, não pode pensar demais, caso contrário o tempo passa e quando vc vê já era.

Beijocas e parabéns!