sexta-feira, 25 de setembro de 2009

História de um Nascimento: Bebê João Pedro

Oi meninas!

Final de semana na área e com ele mais uma história pra nos emocionar!
É impressionante...todas as histórias que recebo me emocionam e fico com lágrimas nos olhos.
A de hoje é do bebê João Pedro (que já está um homenzinho hoje!!!) e da mamãe Talita. Nem lembro como ela nos encontrou ou se fui eu quem a encontrei (isso pq foi semana passada e parece que já conheço ela há tempos!), mas ela gostou tanto que mandou logo sua história!
Vamos lá?!

A Motivação

Desde que me entendo por gente sonho em ter um filho. Sempre quis cuidar de alguém, amar e formar um ser humano digno. Todos os dias das mães que tinham aqueles comerciais lindos, eu sempre chorava de emoção. rsrsrsrs
Quando comecei a namorar o Marco, que ele me pediu em casamento, a primeira coisa que pensei foi se ele seria um bom pai. Nunca eu teria escolhido alguém que não compartilhasse esse sonho comigo, e graças a Deus, ele também queria muito.

As Tentativas
Moramos juntos dois anos e depois casamos. Assim que isso aconteceu, decidimos que era a hora. Porém, como nem tudo são flores... Não conseguimos. Tentamos por dois anos e nada! Ficamos bastante frustrados, pois achávamos que era só parar de tomar a pílula que ele viria, mas não foi assim. Procuramos médicos que viram problemas nos dois. Eu tinha ovário policístico, o que dificulta muuuito e ele, os espermatozóides não chegavam vivos ao meu útero. Víamos o nosso sonho se distanciando cada dia mais...
Eu, constantemente ouvia a música O Filho Que Eu Quero Ter de Toquinho e Vinicius de Moraes e chorava.

A Descoberta
Depois de 2 anos tentando engravidar sem conseguir, decidi colocar nas mãos de Deus (já tava na hora, né?!). Então, um dia fomos (eu, meu marido, meu Pastor e alguns irmãos) ao monte orar. Nesse monte eu tive uma conversa com Deus onde disse a Ele que aceitaria qualquer que fosse a vontade Dele, desde que tivesse certeza que estava comigo. Tudo que eu queria era ter certeza que era Ele que conduzia minha vida. Então pedi que Ele me desse a prova de que estava ao meu lado. Isso aconteceu em janeiro.
No dia 2 de fevereiro de 2005, aniversário do meu marido...
No dia anterior eu havia comprado um teste de farmácia por estar enjoada, mas era mais por desencargo de consciência, já que fiz inúmeros testes e dava sempre negativo. Decidi que faria no dia seguinte para aproveitar a primeira urina do dia. Acordei cedo e fui fazer o teste. Apareceu a primeira linha, pensei: -Eu sabia. Mais um alarme falso! Logo depois olhei de novo e lá estava ela... a segunda linha. Fiquei olhando como se estivesse hipnotizada, sem reação. Um misto de alegria, angústia, dúvidas e incerteza tomaram conta de mim. Será que eu seria uma boa mãe? Saberia cuidar e dar amor a um ser totalmente dependente de mim? Aos poucos, as dúvidas e incertezas foram desfazendo e dando lugar a um amor incondicional. Comecei a me dar conta do presente que Deus havia me dado, da resposta ao meu clamor! Comecei a imaginar que naquele momento meu corpo inteiro trabalhava para gerar uma pessoa!
Marco já tinha saído pra trabalhar. Mas eu não podia esperar até à noite para contar. Então eu liguei para ele e disse que estava passando mal que ele viesse para me levar ao médico. Peguei um conjuntinho de pagão, embrulhei junto com a "fitinha" do teste e disse que queria dar a ele o presente de aniversário. Quando ele abriu...chorou como criança, ajoelhado, agradecia a Deus. E em toda a família, a alegria era imensa!!!

A Gravidez
Tive uma gravidez super tranquila e não vomitei uma única vez. Não trabalhava na época e pude curtir tudo com muita tranquilidade. Cantava todos os dias para o João e conversava muito com ele. Quando papai chegava do trabalho, ficava o tempo todo com mão na barriga conversando. A primeira vez que eu senti mexer, foi num culto da Igreja e chorei muito de emoção. É uma sensação única! Mas João só deu o ar da graça para o papai num final de semana na praia. Eu estava tomando sol e de repente ele começou a mexer muito e papai sentiu pela primeira vez. Foi lindo!

O Parto
09 de setembro de 2005 - acordei sentido contrações. Como eram poucas, preferi esperar. No decorrer do dia, ao invés de aumentar, as contrações sumiram. Fomos no consultório conversar com a médica que constatou que meu líquido tinha secado e teria que fazer uma cesárea no dia seguinte. Na hora bateu uma tristeza por não ser parto normal como eu queria, mas depois, só de pensar que meu bebê estaria logo em meus braços, fiquei feliz! Chegamos em casa e preparamos tudo para o grande dia. Avisamos todos os amigos e parentes e, como nós, todos ficaram ansiosos. É claro que não consegui pregar o olho!
No dia seguinte...

10 de setembro de 2005

Chegamos na maternidade eufóricos. Tinham 10 pessoas nos acompanhando. Mãe, sogros, irmãos, cunhados, amigos... todos loucos para conhecer meu príncipe! A cesárea foi muito tranquila, não senti nada e foi bem rápida. Teve um momento em que senti uma pressão na barriga seguida de um som que foi o mais doce e puro que eu já ouvi em toda a minha vida. O choro do meu filho. Acho que o mais genial dos poetas não seria capaz de descrever a emoção desse momento. No momento seguinte, colocaram ele ao meu lado. Olhar para aquele rostinho, aqueles olhinhos me olhando... gente, eu não imaginava que existia tamanha felicidade! Esse foi, sem dúvida, o dia mais lindo da minha vida!

Há exatos 4 anos Deus fez a minha vida MUITO melhor e mais divertida me dando o maior e melhor presente que eu poderia receber!
Filho, o amor que eu sinto por você é do tamanho do universo! Meu amor, minha vida, meu tudo!!! Obrigada por existir!!!!
Te amo!!!



8 comentários:

Déia. disse...

Linda históia... como sempre!
Histórias de mães e filhos sempre são lindas!!!

Fran disse...

Talita, linda sua história!!!!

Dedeia, cadê a sua e do Matheus??!!

Déia. disse...

Ja mandei para a Ro...

Talita disse...

Meninas, fiquei muuuito feliz em ver a história do meu bebê contada aqui! Muito obrigada porme proporcionar mais esse prazer! oberta,estamos quites pq eu tb sou megaaaa chorona!rsrsrs Sabe aquela propaganda do vick que a mãe passa e o filho para de tossir? Ou aquela do gelol que o menino tá aprendendo a andar de bike com o pai cai e depois aprende a andar? Entõ!! Chore em todas! hahahaha
Beijão, meninas!

Vick disse...

Tínhamos que mudar o nome de História de um nascimento para "Hora do chororô" rs...Muito lindo, muito emocionante.

Roberta disse...

Boa Vick!
:)
Beijos.

Jú Ferrer disse...

Para tudo que eu não sei se mato a Tati ou se choro!!! Matar no sentido de me fazer chorar!!!!
Tati, pelo pouco que conheci da sua história de casamento e agora da sua gravidez (a do casamento deixaremos em segredo até ela ser postada), te adoro!!! Por sua persistência e força em não se deixar abater pelos obstáculos que muitas vezes são colocados no nosso caminho.
Linda sua história!! Lindo seu filhote e linda vc mulher forte, de garra e de coragem!!!
Desejo toda felicidade do mundo pra vc e sua linda família!!!
Beijocas

Jú Ferrer disse...

Rob's, até agora ninguém reclamou desse espaçamento que vc falou...acho que deve ser algum problema de configuração sua...

Se persistir me avisa.

Beijocas

P.S.: acho que a Talita te achou através do jabá do meu blog...hahahahha